quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Tipos de Sapatos!! (Feminino)

Olá meus amores!!!
Não sei quanto á vocês, mas eu sempre tive dúvidas com relação aos nomes dos sapatos, pois a cada nova estação surgem novos modelitos e novos nomes. E isso sempre me deixou meio confusa, por isso resolví dá uma pesquisada sobre o assunto e espero tirar algumas dúvidas de vocês!
Rasteirinha e Sandália Rasteirinha:> Verdadeiros coringas no nosso guarda-roupa, as rasteirinhas são a imagem do verão brasileiro! Baixinhas e super confortáveis deixam praticamente todo o pé á mostra.
Sapatilha e Sapatilha Cap Toe: Inspirada nos sapatinhos das bailarinas, a sapatilha é uma otima opção para as meninas que querem estar arrumadinha e confortável. É baixinha, fechada, super fofa e combina com diversos looks; a sapatilha cap toe tem a ponta de outra cor!
Meia-Pata: Faz referencia a "plataforma" que há na parte da frente do sapato, o que justamente lhe confere maior conforto para quem precisa ficar em pé sem cair do salto o dia todo.
Scarpin: O scarpin (escarpãn) é o sapato todo fechado de salto alto, e o bico dele pode ser arredondado ou fino.
Peep Toe: Muita gente confunde o peep toe (pip tu) com o scarpin, mas a diferença crucial entre os dois é que o peep toe é aberto na frente, mostrando alguns dedos do pé. O peep toe geralmente é de salto, mas pode vir na versão sapatilha também. Ele pode ter o solado simples ou com meia-pata (plataforma colocada no peito do pé).
Cap Toe: A característica do calçado é ter uma ponta de outra cor. O cap toe surgiu na década de 50 e foi fabricado por Coco Chanel. Na época, o modelo era um scarpin bege com a ponta preta.
Chanel: O chanel foi criado pela estilista francesa ultra famosa, Coco Chanel. Tem salto confortável e uma abertura no calcanhar. Esse modelo ficou famoso nos anos 60 por ter o bico em cor mais escura, o que dava a sensação de deixar o pé um pouco menor.
Mule: De origem marroquina, a mule é aquele sapato que se parece com um scarpin, mas ele é fechado na frente e aberto na parte de trás deixando o calcanhar de fora. Normalmente a mule é mais delicada, e o salto tende em ser fino.
Sandália: A sandália é mais fácil de identificar. É o sapato de salto, geralmente de tiras, que deixa várias partes do pé a mostra. Elas não precisam necessariamente serem de tiras, mas a maioria é. Outra coisa que diferencia é o fecho, que na maioria das vezes é de fivela ou laço.
Anabela: Anabela é o salto. Muita gente acha que é o nome do sapato, mas não é. Você pode ter uma sandália ou um scarpin com o salto anabela, e eles continuam sendo uma sandália e um scarpin. Sua principal característica consiste na estrutura do salto, ele é inteiriço e vai diminuindo até a parte da frente. Por isso, é considerado um dos saltos mais confortáveis, ele traz estabilidade suficiente para quem não anda bem de salto, é menos cansativo e para quem é gordinha, traz um equilíbrio maior a silhueta.
Plataforma: Auge nos anos setenta, a sandália fez muito sucesso entre as mocinhas que as usavam com suas calças boca de sino. Nunca deixou de ser usada e todo verão é revisitada pelas marcas de sapatos. O mais interessante é que seu salto é anabela, mas a principal diferença é que a estrutura não reduz até o chão, ele termina com o solado mais grosso na frente, uma plataforma.
Espadrille: A principal característica é o salto em corda ou tecido natural. Originalmente ela era confeccionada em tecido, mas hoje em dia todos os materiais estão liberados.
Mary Jane: Os sapatos Mary Jane são aqueles com uma tira (ou mais) no peito do pé, que sofreram várias adapatações ao longo das décadas. O nome do calçado surgiu no início do século XX, mais precisamente em 1902, por causa de uma história em quadrinhos. A HQ Buster Brown contava as aventuras do menino que dava o nome à obra, seu cachorro falante e sua irmã, Mary Jane, que usava os sapatinhos com as tiras. Aqui também chamamos de sapato “boneca”.
Ankle Boot: É claro que uma bota todo mundo sabe o que é, mas e uma ankle boot? As ankles boots são aquelas botas que vão até o tornozelo, ou até um pouquinho mais alto que isso. São as botas de cano “baixo”. Elas podem ser de salto ou não, e assim como os scarpins, elas sempre terão o bico da frente fechado.
Open boot ou Peep ankle: As open boots são a variação das ankle boots, mas com o bico aberto. Por isso elas também costumam ser chamadas de Peep Ankle, lembram dos peep toes acima? Essa botinha pode ter zíperes, cadarços, fivelas, enfim, o importante é que ela tenha o bico aberto, mostrando um pouquinho dos dedos, o que possibilita que elas sejam usadas também nas estações mais quentes.
Tamanco: Nos modelos dos tamancos originais, o solado consistia em uma plataforma de madeira e uma tira horizontal que prendia o pé no calçado. Há uma diversidade de tamancos que pode ir do tradicional modelo de madeira até aqueles feitos de borracha, no geral são aberto no calcanhar (e ficam meio que soltos no pé). Também, existe uma grande variedade de alturas de saltos, materiais, modelos para se adequar a cada gosto. Esse é o tipo de sapato que você o ama ou odeia (EU odeio...kkk). Não existe meio termo.
Babuche: Antigamente chamados de "babuche" e atualmente chamados de "clog", esses sapatos foram inspirados naqueles tamancos holandeses, geralmente tem solado grosso e de madeira, fechados na frente e abertos no calcanhar. Com certeza nos anos 90 você ou sua mãe usou um!
Mocassim: Ele surgiu entre os índios norte-americanos. Ícone de conforto, tradicionalmente conhecido por ter detalhes do peito do pé, no qual fez muito sucesso nos anos 1960 e foi parar nos pés de Elvis Presley e Michael Jackson. O sapato mocassim se tornou uma tendência de moda, no verão europeu. O sapato mocassim marcou presença nos principais editorias e revistas de moda renomadas. Grifes conceituadas, como Prada e Balenciaga levaram o calçado mocassim para as suas coleções. Tradicionalmente usados pelo público masculino (sapatinho do vovô...rsrs), os sapatos mocassim apareceram nessa temporada com novas modelagens, ares despojados e um toque de feminilidade para fazer parte também do vestuário feminino.
Uffaa! Post grande néh? E olha que nem falei de todos...rsrs Espero que tenha acrecentado alguma coisa ao conhecimentos de vcs!! Comentem!!
Xerooo... Hérika Nemésio <3

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Contato!!!

Quer falar comigo?
Então envie um e-mail para:herikanemesio@hotmail.com

sábado, 2 de fevereiro de 2013

TESTEI: Imecap Hair.

Olá pessoas! Tudo bom com vocês???
Hoje vim falar pra vocês sobre um produtinho que eu comprei para experimentar! De tanto assistir as propagandas, resolvir investir e comprei para experimentar, o preço varia entre R$ 40 á 55,00 reais e é encontrado em qualquer farmácia, não precisa de receita.
O que o produto diz:
As vitaminas e minerais presentes em Imecap Hair® são importantes para:
ESTIMULAR o crescimento FORTALECER os cabelos COMBATER a alteração do bulbo capilar CONTRIBUIR para eliminar os problemas de queda PROPORCIONAR cabelos mais fortes, volumosos com brilho e vitalidade. REFORÇA as células de defesa das camadas mais profundas dos cabelos tornando-as mais resistentes MELHORAR o aspecto geral dos fios que ficam menos quebradiços, mais volumosos e cheios de brilho.
O que eu achei:
Bom, nos primeiros dias não senti absolutamente NADA (avah, queria milagre é... kkk). Após 15 dias de uso notei uma redução de 60% na queda dos fios, que pra mim já foi muito bom já que meu cabelo tava caindo ORRORES! Em 25 dias notei que meu cabelo tinha crescido bastante, a diferença era vísivel, minha raiz estava num cacheado bem aparente (já que faço progressiva e alisamento)! Fiquei muito feliz!
Com um mês senti os cabelos mais fortes e principalmente mais brilhosos, crescimento aparente e 70% menos queda! Tudo isso combinado com hidratações semanais tbm, vale resaltar!
Em resumo, um ótimo produto vale a pena experimentar, cumpriu a descrição da bula!!! Aprovado!!!
Bjos...Espero que tenham gostado!!! O que vcs fazem quando sentem seus cabelos fracos???